segunda-feira, 30 de março de 2009

NOSSA RICA LINGUA PORTUGUESA



EXPRESSÕES REGIONAIS

CEARENSES

Butar buneco!: Se divertir!
Diabéisso?: O que é isso?
Deixe de arrudei! - Pare de enrolar!
É bem pixototim! - É bem pequeno!
Ele é chei do leriado!: Ele é conversador!
Ele é muito estribado!: Ele é muito rico!
Ele é môco!:Ele é surdo!
Ela pelejou quissó!: Ela tentou bastante! "
Ele só quer ser as pregas!: Ele quer ser muita coisa!
Isso é miolo de pote!: Isso é besteira!
No rumo da venta!: Em frente!
O caba é morto dentro das calça!: Ele é preguiçoso!

FLUMINENSES

Ficou na pista: Deu mole em alguma coisa, passou vergonha
Vacilou: Marcou bobeira
Zoar ou Zueira:Fazer bagunça
Fita forte: Produto de roubo
Dar um rolê: Passear, sair
Ei tá preula: Ficar impressionado
Bagulho: alguma coisa (como folha, carro e etc)
Ficou pequeno : Ficou mal falado
Queimou meu filme: fizeram fofoca a respeito de você
Rasga: Sai correndo, sai daqui
Gás : Muito rápido
É fria: É perigoso


GAÚCHAS

Acolherar; Acolherar-se: Unir, juntar, juntar-se, associa-se.
Alambrado: aramado; cerca feita de fios de arame.
Amargo: Chimarrão, mate amargo.
Apear: Descer; apear-se do cavalo.
Bagual: Potro recentemente domado, arisco, bisonho.
Bergamota: tangerina, mexerica.
Bochinche: Desordem, briga; baile de ínfima classe.
Bolicho /e: Pequena casa de negócio; taverna,. Bodega.
Bueno: bom; está bem; perfeitamente.
Cambicho: Apego, paixão, rabicho.
Campear: Procurar pelo Campo.
Cana, canha: cachaça, aguardente.
Carreira: Corrida de cavalo, em cancha reta.
Cevar mate: Fazer o chimarrão e servi-lo às pessoas.


BAIANA


A locé: como bem quer
A par de: do lado
A toque de caixa: imediatamente
Abrir o chambre: fugir
Acompanhar farrancho:meter-se em complicações
Alcaides: coisa fora de moda, ruim
Alodê, arigofe, pau-de-fumo: homem muito preto
Aprontar-se: trocar de roupa para fazer alguma coisa
Aqui d'el-rei: socorro
Armar-se cavalheiro: tomar coragem
Azuretado: confuso
Babaquara: senil
Bacuejo: meio banho de asseio
Bacuar e lambicar: destilar coriza
Bangalafumengas: gente sem estilo, de baixa condição


MINEIRAS

Bembeu: pessoa raquítica, mirrada; bezerro enjeitado
Bistontado: adoidado. Sinônimos populares mais comuns: amalucado, biruta, desequilibrado, da bola virada (ou virado da bola), detraquê, fraco da idéia, gira, pancada, perturbado, pirado, tantã, ter um parafuso de menos ( ou uma telha quebrada), zoró, zoronga, zorongado, zorongo, zureta.
Bololô: confusão, briga, dificuldade
Bonserá: casa de cômodos, cortiço, habitação coletiva de baixa categoria (Belo Horizonte).
Boque: isqueiro rústico, feito com ponta de chifre Sinônimos populares: artifício, binga
Breguete: coisa, objeto. Sinônimo popular comum: trem. Brol: pequena mauser, de boldo e de má qualidade
Bruto: araticum do cerrado, dos grandes. Sinônimos populares: cabeça-de-negro, panã, marolo(ô).
Burgaliana: tecido listrado, de algodão
Calumbim: mata de espinheiros
Cariá: demônio familiar que atenaza as pessoas, sendo necessário que se benza a casa para que se vá
Cata-risco: superstição, tabu, que impede que se pisem ou saltem riscos no chão
Cazumba: rês morta em atoleiro, mordida de cobra, doença ou acidente. Sinônimo popular: morrinha.
Chá-de-caldeirão: festinha que amigos íntimos do noivo lhe oferecem, poucos dias antes do casamento

PARANAENSES

Amolar: incomodar
Anca: quadril
Andeja: andarilha
Aparecido: fantasma
Apoitar: amarrar na poita, atracar
Avacalhar: desmoralizar
Baita ou bruta: muito grande
Basculhar: procurar
Bedelhar ou bisbilhotar: imiscuir-se na vida alheia
Boanoitou: anoiteceu
Boleiro: mentiroso
Bochuda: grávida
Cainho: sovina
Campeando: procurando
Canja: fácil
Carpir: capinar
Ciar: ter ciúmes
Desgarrado: perdido
Enjerizado: mal-humorado
Entendida: parteira

PAULISTANAS

Arranchar: acampar, estabelecer moradia, fixar-se (vem de rancho e se origina do linguajar tropeiro)
Arribar: chegar
Assuntar: perguntarm inquirir, também meditar
Assustado: baile de improviso, função
Banzé: desordem, briga, confusão
Batuta: excelente, ótimo. Usado para dar nome a animais domésticos.
Biriba: o mesmo que caipira ou tropeiro. Também é um jogo de cartas
Bizarria: esforço, bravura, valentia. Como vai essa bizarria?
Boneca: espiga de milho madura. O milharal fica então embonecado
Breganhar: substantivo e verbo. Troca, barganha
Cacunda: costas, ombro, corcunda
Cafundó: lugar distante, ermo, desértico. Morar no cafundó, ir para o cafundó. Curiosamente tornou-se um nome de família.
Caipirismo: coisa, mancada, atitude de caipira. Caipirada
Calumbo (calombo): inchação, protuberância, acidente do terreno
Cambito: pau para amarilho, perna fina
Carne-de-vaca: coisa muito comum, vulgar, banal
Casamento de espanhol: sol e chuva

MARANHENSES

Aço - Meter o aço: levar de roldão. Fazer algo de forma impetuosa e violenta.
Adão - Nos tempos em que Adão era cadete: antigamente, nos tempos antigos
Alho - Ser um alho: ser vivo, esperto, ladino.
Passado na casca do alho: esperto, sagaz, matreiro
André - Ficar André: encabular, encalistrar
Arara - Comer arara: ser tolo, atrasado, ingênuo. Possível conotação com o índio brasileiro, comedor de pássaros.

Disponível em: http://www.jorwiki.usp.br

E vai por aí afora...
Alguém conhece mais alguma?

1 comentários:

Adilson disse...

SOBRE O BLOG LUCINHA:

SHOW DE BOLA!
CHIQUE DIMAIS SÔ!
TRILEGAL!
DA GOTA SERENA;
PORRETA!
RESPONSA MANO!
DU BRIDA!

Muito bem feitinho Lucia, monte no 18 que esses meninos aí de baixo só tem a ganhar, afinal estão sendo conduzidos por uma pessoa altamente qualificada além de ser BOLA SETE E PEDRA NOVENTA!

Um cheirinho procê!